logomarca do núcleo dança aberta

 
  botão página inicial
  botão quem somos
  botão danceability
  botão projetos
  botão mídia
  botão parceiros
  botão contato

logomarca do ciclo de palestras e oficinas 2014


Dança Aberta 2014 - Ciclo de Palestras e Oficinas

Com o intuito de ampliar o olhar e a discussão sobre diferentes modos de trabalhar com grupos que contenham diversidade física, mental, de formação pessoal e profissional, e o desdobramento disso para o desenvolvimento da sociedade como um todo, o Núcleo Dança Aberta propõe o Ciclo de Palestras e Oficinas de Dança com a participação de artistas convidadas.

Cada uma das palestrantes/professoras traz sua perspectiva particular, fruto de trajetórias individuais pautadas em experiências e questionamentos artísticos e humanos advindos do encontro - ou desencontro - com a diversidade.

São cinco Módulos de Palestra e Oficina, onde teoria e prática se comunicam. Assim não só convidamos para um momento de reflexão, mas também para um momento compartilhado e vivido, onde o corpo pode ter lugar para responder sem palavras a alguns impasses comuns a todos nós ao lidar com nossas particularidades, sejam quais forem. E que isso gere criatividade e transformação, é nossa intenção.

Este Ciclo é oferecido gratuitamente pelo Núcleo Dança Aberta e conta com o patrocínio da White Martins e o apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo - Programa de Ação Cultural (ProAC).

AGENDA

Módulo I    – Núcleo Dança Aberta (São Paulo) - 4, 5 e 6 de abril

Módulo II  – Marina Gubbay (Buenos Aires) - 11, 12 e 13 de abril

Módulo III – Mara de Castro (São Paulo) - 25, 26 e 27 de abril

Módulo IV – Carla Vendramin (Porto Alegre) - 9,10 e 11 de maio

Módulo V   – Estela Lapponi (São Paulo) - 16, 17 e 18 de maio

LOCAL

Pulsarte
Endereço: Rua Pereira Leite, 55 - Alto de Pinheiros – São Paulo – SP

Módulo I - Núcleo Dança Aberta

O Núcleo Dança Aberta é formado por Neca Zarvos e Priscila Jorge. Foi oficialmente fundado em 2007 por Neca que realiza há mais de 15 anos um trabalho de aplicação e difusão do método DanceAbility, incluindo a produção da primeira vinda ao Brasil de seu criador Alito Alessi, em 1997, para a realização de workshops e a apresentações de sua companhia Joint Forces Dance Company. Além de aulas e participações em festivais, os principais projetos do Núcleo Dança Aberta foram DanceAbility Brasil 2007 (que trouxe novamente Alito para uma série de workshops e palestras, a criação de uma intervenção de dança e a montagem do espetáculo Joy Lab Research) e a realização da 1ª e 2ª edições da Oficina de Dança DanceAbility, em 2008 e 2012, respectivamente.

Palestra:

Núcleo Dança Aberta e DanceAbility

Nessa palestra apresentaremos o histórico do Núcleo Dança Aberta e suas raízes na filosofia e metodologia do DanceAbility, buscando especificar as particularidades do método em relação ao mundo da dança com habilidades mistas. Também falaremos sobre como o Núcleo a seu modo trabalha com o DanceAbility, suas estratégias de produção e posicionamento político que determinam escolhas e contextos de ação, para tentar manifestar a filosofia do trabalho a partir de uma experiência prática compartilhada.

Oficina:

DanceAbility é antes de tudo um estudo de improvisação, aberto a quem se interesse em explorar seu corpo em movimento e as novas possibilidades que o encontro com outros corpos com histórias e experiências diferentes pode trazer. Para quem não tem experiência em dança, um lugar seguro e acolhedor para começar; para quem já dança, uma oportunidade para enriquecer sua prática com o desafio que a improvisação em um grupo com habilidades mistas propõe. Cada corpo contribui com sua qualidade particular e todas as qualidades se misturam, dando a todos a chance para a descoberta de novos modos de se mover e perceber.

MÓDULO II - Marina Gubbay

Marina Gubbay é Professora de Expressão Corporal e de Dança Inclusiva, e Docente de Dinâmica Grupal. Trabalha há trinta anos com Educação do Movimento como professora, pesquisadora e coreógrafa. Busca integrar a dança, a educação e a saúde em propostas interdisciplinares vinculadas a universidades e entidades públicas e privadas da Argentina e de outros países.
É uma das fundadoras da Associação "Danza Sin Límites".

Tradutora: Patricia Noronha

Palestra:

Fundações: Olhando para a História

A palestra pretende destacar as contribuições de Patricia Stokoe (Expressão Corporal), dançarina argentina, que em 1950 disse: a dança está ao alcance de todos. E, anos depois, Alito Alessi (DanceAbility) entra em consonância com este enunciado, vindo da necessidade de democratizar a dança e torná-la acessível a todos, independente de qualquer característica particular.

Estes dois artistas-pesquisadores, do ponto de vista da ideologia política, encontram-se em acordo, mantendo cada um diferenças específicas, de acordo com lugares e épocas em que os mesmos se desenvolveram.

Oficina:

Como trabalhar para que continuem surgindo novas criações que cavalguem as novas realidades de nosso tempo sempre em mudança?

Como trazer o meu próprio traço, minha singular pincelada na dança - o que eu tenho para dar e de onde tiro meu alimento?

Através de sua própria maneira de dançar, a partir da experiência com diferentes métodos e técnicas, o participante inaugura uma maneira de se relacionar consigo mesmo, com os outros e com o mundo, indo ao encontro da possibilidade de ser comprometido e criativo ao mesmo tempo.

MÓDULO III - Mara de Castro Oliveira

Mara de Castro Oliveira tem formação em dança clássica e contemporânea, graduou-se em psicologia PUC SP, possui especialização em Psicologia Analítica e Abordagem Corporal – Sedes Sapientiae, mestrado em Comunicação e Semiótica PUC SP. Estuda abordagens como o DanceAbility, o Body-Ming Centering e o Movimento Autêntico. Desde 1996, trabalha como psicóloga clínica Jungiana, atuou nas áreas da psicologia hospitalar e reabilitação, onde começou a desenvolver a sua pesquisa com a composição dança e psicologia.


Palestra:

O que te move?

A palestra pretende abordar o histórico e desenvolvimento da forma de trabalho da artista; uma breve pesquisa sobre a questão corpo-mente, seus pressupostos teóricos na Psicologia Analítica e nas Ciências Cognitivas; conceitos dos métodos DanceAbility, Body-Mind Centering e Movimento Autêntico que compõe o seu trabalho.

Oficina:

Parte-se do entendimento de que a dança é uma experiência que ao ser compartilhada com o outro possibilita uma nova forma de vivenciar a si mesmo e ao mundo, e de que os movimentos do corpo interferem nos processos cognitivos, nas emoções e nos sentimentos.

Serão abordados a história e os desdobramentos dessa concepção de dança; a percepção da relação na dança (DanceAbility e uma abordagem simbólica); a relação testemunha e movedor (Movimento Autêntico); e as motivações do movimento.

MÓDULO IV - Carla Vendramin

Carla Vendramin é artista de dança e trabalha com grupos de habilidades mistas. Tem mestrado em Coreografia pela Universidade de Middlesex, em Londres, onde trabalhou como dançarina e professora de dança em diversos espaços e grupos (entre eles a CanDoCo Dance Company), além de colaborar com inúmeros coreógrafos europeus importantes. Seus trabalhos, sempre em sintonia com linguagens contemporâneas de movimento e mídias, já mereceram inúmeras premiações no Brasil e exterior.

Palestra:

Dançando em grupos mistos

Além do compartilhamento do histórico de trabalho da artista, serão discutidas e refletidas questões sobre a prática da dança feita com pessoas com e sem deficiências, princípios chave de comunicação e relacionamento, e contextualização sobre acessibilidade no ensino da dança.

Oficina:

A oficina irá abordar técnicas de improvisação e composição coreográfica em dança contemporânea em grupos com habilidades mistas. O mote central será a arquitetura do local onde será realizada a oficina, ambientes internos e externos. A prática realizada irá apresentar pequenas performances urbanas como parte resultante da oficina, oferecendo aos alunos e ao público espontâneo a oportunidade de viver e testemunhar um ato artístico feito num grupo com diversidade.

MÓDULO V - Estela Lapponi

Estela Lapponi é atriz, curte dançar, se diverte como videomaker e gosta de pesquisar a performance. Em 2010, iniciou o Master em Práticas Cênicas e Cultura Visual da Universidad de Alcalá em Madrid, onde deu início efetivo a sua investigação cênica, visual e conceitual – Corpo Intruso, termo criado por ela mesma no período em que morou na Itália. Essa experiência despertou o seu olhar para o que significa ser um imigrante e consequentemente pensar em: o que está fora de contexto, o que não está convidado, o que está em choque cultural.

A investigação segue em processo e pode ser acompanhada através do blog: http://zuleikabrit.blogspot.com/

Palestra:

Conversando com Corpo Intruso_Zuleika Brit

Trata-se de uma performance palestra onde a artista contextualizará sua investigação. Apresentará o tema, sua origem e os caminhos que criou para as práticas investigativas, com exibição de vídeos, fotos e leitura de textos que estimularam e surgiram das experimentações.

Oficina:

Trata-se de um ateliê de investigação em Corpo Intruso.
O conhecimento de Corpo Intruso será construído coletivamente de maneira prática. A oficina pretende abordar a ideia de que a investigação artística também é uma forma de produção artística e não somente a montagem de um espetáculo. A investigação como prática de criação propõe uma ampliação de possibilidades de jeitos de fazer e consequentemente de novas linguagens, aproximando os participantes do processo de criação em arte contemporânea.

VAGAS E INSCRIÇÕES

O Ciclo deverá ser realizado ao longo de dois meses. Cada módulo será cumprido semanalmente, sendo que as palestras acontecerão sempre às sextas, e as oficinas aos sábados e domingos subsequentes.

Palestra e Debate – sextas
Carga horária: 3 horas, das 19h às 22h
Nº de vagas: 100 participantes, sujeita à lotação.

Oficina – sábados e domingos
Carga horária: 2 encontros de 4 horas, das 10h às 14h – total: 8 horas
Nº de vagas: 30 participantes, mediante inscrição.

As vagas serão preenchidas por ordem de inscrição e a cada módulo poderá ser formado um grupo com diferentes participantes, uma vez que as vagas são rotativas.

Por outro lado, se houver alguém interessado no aprofundamento das didáticas e em viver uma experiência mais extensa, esta possibilidade é efetiva; já que cada participante poderá se inscrever em quantos módulos quiser.

Os interessados poderão participar apenas da palestra ou da oficina ou, ainda, da programação completa de cada módulo.

PÚBLICO-ALVO E TRANSPORTE

As atividades do projeto são oferecidas gratuitamente ao público em geral.

Nas palestras, nosso intuito é contar com a participação de pessoas interessadas em discutir e repensar a questão da diversidade na arte e o olhar sobre a deficiência na sociedade.

As oficinas são abertas a qualquer pessoa, com ou sem experiência em dança, que queira experimentar seu corpo - expressão, relação e composição - dentro de um grupo com habilidades mistas.

O projeto oferece transporte para viabilizar o acesso de pessoas com deficiência ao local de trabalho e assistência para locomoção.

FICHA TÉCNICA

Coordenação Artístico-Pedagógica – Neca Zarvos
Coordenação Geral – Priscila Jorge
Design Gráfico – Cláudio Queirós
Assessoria de Imprensa – Editor – Edison Paes de Melo
Produção Executiva – Maíra Silvestre
Realização – Núcleo Dança Aberta